Nacional Sub 17, um investimento com retorno garantido

Nacional Sub 17, um investimento com retorno garantido

Partilhar com amigos

czech-republic-national-football-team-logo

O Batuque de São Vicente conservou sua hegemonia ao conquistar sábado, o terceiro título seguido de Campeão Nacional Sub 17, depois de vencer na final a EPIF de Santiago Sul, por 7 6, nas grandes penalidades. Nos oitenta minutos ninguém marcou, apesar do jogo ter sido muito bem disputado e de fazer inveja a muitas partidas dos campeonatos seniores por aí.

 

Para chegar à decisão os axadrezados de Mindelo venceram todos os seus jogos na fase de seu grupo; Académico do Sal, 2 a 0, golos de Jón e Stephan; Paulense de Santo Antão, 9 a 0, marcaram Pança (2), Jón, Stephen, Giovani (2), Pelé (2) e Pel e Inter Cutelo de Santiago Norte, 5 0, tentos de Pança, Jón, Pelé, Calú e Michel. No total marcaram dezasseis golos e não sofreram nenhum.

Entraram para a história como campeões da 3ª Edição do Nacional – Praia 2012, os guarda-redes Mauro e Ketcha que não sofreram golo; Vivine, Peky e Ricel; o capitão Nenass; Michel, Jón e Robinson — filho do ex-internacional Bubista –; Pança o craque da prova; Cicino, Keny, Giovani, Dupóff, Stephen, Pelé, Leonel e Pel.

Eles foram comandados pelo conceituadíssimo técnico Jorge Conceição (Djodje), o craque na formação de atletas e o Rei dos Títulos na categoria venceu todas as três edições, aproveitamento de 100%. O adjunto Paulo Rodrigues (Boca) e o delegado Luís Spencer (Lijin) completaram a comitiva que levou o título, para levantar a envergonhada cara do futebol de São Vicente.

A vice-campeã EPIF, chegou na final após vencer o Ribeira Brava de São Nicolau, por 1 a 0, golo de Igor e o BV Galaxy da Boavista, por 4 a 0, golos de Duco, Igor (2) e Calú.

Individualmente, Mauro do Batuque ganhou o prémio de Guarda-Redes Menos Batido. Ele não tomou golo assim como seu colega Ketcha e Bard da EPIF, mas ele jogou mais tempo.

Igor da EPIF que marcou três golos ficou com o troféu de Melhor Marcador, por ser o mais novo. BV Galaxy levou o Troféu Fair Play.

Durante os oitocentos minutos que a bola rolou, na prova organizada pelo incansável presidente da Associação de Santiago Sul, Mário Avelino (Donnay) e que teve dez jogos de excelente nível, foi bonito ver em ação, dezenas de jovens com grande potencial e excelente margem de crescimento.

Foi muito agradável, ver as defesas de Bard da EPIF, Mauro do Batuque e Ti Bin do BV Galaxy; o talento dos médios Pança do Batuque, Duco da EPIF, Djindja do Académico e Messi do Inter Cutelo; a determinação de Roby do Batuque, Suba do BV Galaxy e Patchim do Ribeira Brava; a técnica de Romário do Paulense, Aristides da EPIF, Michel e Vivin do Batuque; a liderança dos centrais Nénass do Batuque e Yennick da EPIF; a velocidade de Neu do Ribeira Brava, Chica e Igor do Académico e o faro goleador de Pelé, Jón e Stephan do Batuque, Igor da EPIF, Malik do Ribeira Brava e Secá do BV Galaxy.

Todos, verdadeiros diamantes em lapidação que mostraram que a semente da formação está germinada e agora precisa ser cuidada para possa dar bons craques para servir clubes nacionais e estrangeiros e a Seleção Nacional.

O elevado nível da competição que prestou um minuto de silêncio em memória do ex-árbitro Osvaldino Andrade que participava na organização e faleceu na véspera da final, a quantidade de talentos que desfilaram classe no relvado, o fair play, o convívio entre jovens de diferentes ilhas, são provas mais do que convincentes de que vale a pena investir na formação de atletas e em competições do género.

Todo esse sucesso e a confirmação de que a aposta na formação é o melhor caminho para o sucesso, principalmente de países como o nosso em que a população é maioritariamente jovem, aconteceu numa semana especial.

O Tubarão Azul RYAN que fez sua formação nos escalões de base de Ribeira Bote, Derby e Académica, todos de São Vicente, antes de ir para o Centro de Formação do Havre, transferiu-se para o Lille da 1ª Divisão da França, após ter sido o terceiro melhor marcador da segundona francesa e integrado o onze ideal da competição.

Quinze porcento da transferência avaliada em cerca de três milhões de euros e que fez de RYAN o mais caro futebolista cabo-verdiano, são para compensar os clubes que o formou, segundo as leis da FIFA.

Outro grande exemplo do sucesso da aposta na formação chegou também, do Velho Continente, o médio espanhol INIESTA, revelado nas categorias de base do Barcelona, foi eleito Melhor Jogador da Europa.

Equipa Ideal NhaTerra Online: Mauro (Batuque) [Gr]; Vivin (Batuque), Nénass (Batuque), Yanick (EPIF) e Aristides (EPIF); Jon (Batuque), Duco (EPIF), Pança (Batuque) e Chica [Académico]; Stephan (Batuque) e Igor (EPIF)

Suplentes: Bard (EPIF) [Gr], Ricel e Roby (Batuque), Malik (Ribeira Brava), Duco (EPIF), Djindja (Académico) e Romário (Paulense),

Melhor Jogador NhaTerra Online: Pança (Batuque)

Melhor Treinador NhaTerra Online:: Jorge Conceição (Batuque)

Curiosidades:

Jogadores com nomes de craques: Messi (Inter Cutelo), Élber (EPIF), Galass e Witsel, (BV Galaxy), Romário e Jardel (Paulense) e Pelé (Batuque)

Nomes Curtidos: Pança, Pel, Ketcha, Dupóff (Batuque), Suba, Secá e Subinha (BV Galaxy); Pichim, Kalili e Sassano (Paulense); Djindja, Chica e Djinha (Académico).

Partilhar com amigos

Comentários

comentarios

Leave a Comment

(required)

(required)

eighteen − seven =