Fernando Varela completou cinquenta jogos pela Seleção

Partilhar com amigos

O defesa central Fernando Varela completou cinquenta internacionalizações na despedida dos Tubarões Azuis da Fase de Qualificação para o Mundial 2018, frente ao Burkina Faso em Ouagadoudu.

O jogador que estreiou com a azulinha no dia 27 de maio de 2008, no amigável em que Cabo Verde empatou a um golo com o Luxemburgo é o segundo a atingir a marca e agora é o vice-líder do Ranking de Internacionalizações, atrás apenas de Babanco que tem 62.

Foi noutro amigável que ele consolidou sua posição como patrão do eixo da defesa cabo-verdiana, noutro empate, desta vez sem golos e diante do mundialista Portugal quase dois anos após a estreia, no dia 24 de maio de 2010.

SportsMídia falou com o craque sobre seus cinquenta jogos pela Seleção Nacional. Ele revelou que não sabia que tinha atingido essa marca. “Não sabia, não ando a contar”, revela.

Varela disse a este periódico desportivo que é com muito orgulho que representa este País que é pequeno em dimensão mas grande para ele em termos de coração e de paixão e reiterou seu sua disponibilidade para continuar a defender a Nação. “Enquanto tiver forças vou fazer o máximo número de jogos, mas sem pensar em recordes”.

Ele conta que decisão de representar Cabo Verde foi tomada quando jogava no Estoril de Portugal e num momento em que tinha proposta para jogar nos Sub 21 de Portugal, uma ambição legítima para quem nasceu e cresceu naquele país.

“Num jogo apareceu o Eduardo que falou com o Ernesto e chegaram até mim dizendo se queria representar Cabo Verde. Como não penso muito nas decisões sobre o meu futuro foi uma questão de segundos dizer que sim, por ser o País dos meu pais e por ter crescido com suas tradições, apesar de não ter nascido lá”.

Desde o sim até este momento já vai quase uma década e na avaliação do jogador do PAOK de Salónica da Grécia, a trajetória tem sido muito boa. Segundo ele, no início viveu momentos preocupantes porque a Seleção não estava a altura das exigências devido a falta de meios financeiros, mas que atualmente suas espetativas foram superadas.

“Pessoas com qualidade têm agarrado a Seleção, neste momento estamos muito bem servidos em termos de Direção e penso que vamos voltar a ter a seleção cabo-verdiana que tivemos nos últimos anos. Quando se tem uma qualidade por detrás dos jogadores fica tudo mais fácil para que as coisas corram bem”, explica.

Da sua memória não saem, a primeira internacionalização e a participação na Copa de África das Nações em 2013 na África do Sul que são apontados por Varela como os pontos mais altos da sua carreira na Seleção.

Já o momento mais baixo foi quando recebeu a notícia de que Cabo Verde estava fora do Play Off para o Mundial do Brasil por ele ter sido utilizado de forma irregular na vitória sobre a Tunísia. Uma situação para ele já ultrapassada.

Partilhar com amigos

Comentários

comentarios

Attachment

Leave a Comment

(required)

(required)

fifteen − thirteen =